sábado, 12 de dezembro de 2015

Dosimetria do amor


JORGE LEITE DE OLIVEIRA
jojorgeleite@gmail.com
De Brasília-DF

Em 2 de julho de 1883, um dia destes, portanto, falei-te, leitor amigo, sobre a abertura do espaço à dosimetria médica pela Sociedade Portuguesa de Beneficência. Não procures no dicionário o significado dessa palavra. Deixa-o aos iniciados na arte da cura.
Também não confundas os significados de cura da arte medicinal com o cura da paróquia do teu bairro. Ainda tem o curador, que é quem responde pela organização e manutenção das obras de arte, nos museus, de alguém que já se encontra do lado de cá...
Bárbaro léxico! Torturas diabólicas! Aqui da corte celeste, pode-se dizer, por meio de cartas psicográficas, um amontoado de coisas venturosas ou tristes, e os instruídos por nós ainda recebem dois ou cinco mil reais, quando a notícia é excelente e a pessoa tem estilo... Só não se admite é que a pessoa se diga inspirada pelas forças do Além.
Voltemos à dosimetria. Oh, língua, ó dosimetria, cuja definição mais simples é a de cura das doenças orgânicas em doses “exatas e puras”. É aqui que chamo a atenção da meiga leitora sobre o absurdo do credo quia absurdum (creio porque é absurdo) ou do crê ou morre das crenças cristãs ou muçulmanas do passado (felizmente!).
Com base na dosimetria, o meu facultativo, que tratava crianças com a homeopatia e adultos com a alopatia, desencarnou antes de mim, vítima de tifo. Sua tia foi tratada com alopatia, mas acabou também morrendo. Dizem as más línguas que faltou "alô patia", outros contestam o tratamento e garantem que a falta foi de "homeo patia", por isso, a pobre morreu solteirona... Se ainda fosse hoje!
˗ Machado, acho que você está ficando é alo... prado.
A dosimetria é a dose justa de medicamento para o corpo físico, meu caro leitor, como já te disse alhures. Os fanáticos religiosos que, ao longo dos séculos, vêm contribuindo para o ceticismo humano, bem que poderiam receber um tratamento semelhante de seus pastores, rabinos e padres: dosimetria da fé sem fanatismo, mas com tolerância, fraternidade e amor a todas as criaturas, pois, afinal, não somos todos irmãos e filhos do mesmo Pai, quer o creiamos ou não?
Concluo com um poema de Joteli, vez que não descobri nenhum, dentre os meus, que se harmonize com o tema dosimetria... do amor:

Antes que seja tarde...

Enquanto as horas passam dia a dia,
Há pássaros que cantam das palmeiras
Desde a manhã às horas derradeiras
Mas sem jamais abandonar a cria.

Ao seu trabalho o canto sempre alia
Quem deseje servir a vida inteira
E faz da caridade a companheira,
Pois no bem tem a força que auxilia.

Não posterguemos, pois, este convite
De atender com amor seja quem for
Antes que seja tarde em demasia.

Quando se faz o bem, quem nos assiste
Canta como essas aves do Senhor
E traz ao nosso ser dosimetria.






Nenhum comentário:

Postar um comentário